Arquivo do blog

sexta-feira, 31 de dezembro de 2021

Rosa de Jesus Parte II Final. Rio de Janeiro RJ.

A poética visual de Rosa de Jesus se dá pela maneira como lida com as cores para instaurar percepções cromáticas e existenciais. Elizabete Motta, curadora da exposição, as tonalidades e com um mundo com um equilíbrio próprio em que cada trabalho comporta sua poética.






A reunião de três séries acentua a importância de cada imagem individualmente e o diálogo entre elas.






A artista oferece, tanto nas formas diluídas, quanto na intensidade das cores, uma expressão visual própria.






Cada obra traz um repertório que inclui as experiências anteriores e a busca interna por novas respostas.






Isso inclui o desenvolvimento da própria técnica e a construção de visões internamente coerentes. O que elas têm em comum é a expressividade na forma de lidar com a existência.

Fonte: htps://ofluminense.com.br

Com a chegada de um ano novo, é tempo de renovar esperanças, de planejar novos objetivos e de agradecer a Deus por tudo que temos na vida. Que o próximo ano não seja apenas uma mudança de número, mas também uma possibilidade para repensar o que queremos mudar e valorizar o que nos faz feliz. Seja bem-vindo, 2022!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

Rosa de Jesus Parte I. Rio de Janeiro RJ.

Aos 92 anos, Rosa de Jesus, portuguesa da cidade do Porto que imigrou para o Brasil em 1957,  é só  empolgação com a exposição "Portais do Ser", no centro Cultural dos Correios, no centro da cidade do Rio de Janeiro.






Trata-se da segunda exposição da artista em espaço tão nobre, a primeira foi no Espaço Cultural dos Correios de Niterói, o magnifico Palácio dos Correios.






Radicada em Niterói há 40 anos, Rosa ainda pinta diariamente. Na juventude dedicou-se ao desenho de moda, até que sua inquietude e sensibilidade levaram-na aos caminhos da pintura como forma de expressar seus sentimentos.






São muitas as referências, e ao mesmo tempo nenhuma. Ela tece estruturas sobre as quais expande sua imaginação.






Ponto de encontro e tensão são ambos compatíveis com a atitude solitária e reflexiva da artista. Mas Rosa não se detém na atitude formalista, e expressa  a vontade de pôr sua pintura como afirmação inequívoca da simbiose entre arte e vida, justamente por promover aproximação sensível com experiências vividas por quem ultrapassou obstáculos.

Fonte: htps://www.ofluminense.com.br


quarta-feira, 29 de dezembro de 2021

Arte Urbana IX. Rio de Janeiro RJ.

Um grupo de mulheres fortes passou a ocupar o Porto Maravilha na cidade do Rio de Janeiro, homenagem a figuras femininas no Brasil e na Alemanha. A atriz Ruth de Souza, primeira dama negra do teatro, cinema e da televisão no Brasil; Tereza de Benguela, líder de um quilombo, que, durante duas décadas, esteve a frente da luta contra a escravidão das comunidades negra e indígena.


Ruth de Souza.



Almerinda Farias Gama.



Almerinda Farias Gama, sindicalista que marcou o cenário político carioca e nacional, estão ao lado de outros ícones internacionais.

Sophie Scholl.



Marlene Dietrich.


Teresa de Benguela.



Marlene Dietrich, atriz alemã que fez a diferença não apenas por sua produção, mas também plea colaboração humanitária durante a Segunda Guerra Mundial, e Sophie Scholl, lembrada por se opor ativamente ao Terceiro Reich durante a Segunda Guerra Mundial.






Todas num mural grafitado pela artista niteroiense Dolores Esos na Orla Conde, em frente à Rio Star, em homenagem a estes cinco nomes femininos que fizeram história. A iniciativa é colaboração da  prefeitura do Rio e do consulado alemão. 

Fonte: veja.abril.com.br