Arquivo do blog

quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Embu das Artes SP. Parte II.

Já no século XVIII, entre 1730 e 1734, os jesuítas construíram a sua residência anexa à Igreja, formando um conjunto arquitetônico contínuo de linas retas e sóbrias. Mais, em 1760, por ordem da Coroa Portuguesa, os jesuítas, foram expulsos do Brasil.






"Embu" é  uma corruptela do nome da aldeia jesuítica  que deu origem à cidade: Mboy. Existem duas propóstas etimológicas para p topônimo Mboy: é um termo oriundo do tupi antigo mboi'y ("rio de cobras", a partir da junção dos termos mboîa. "cobra" e "y', "rio') e se origina do terrmo tupi antigo mboîa ("cobras").


Centro de Atendimento ao Turista.





A vocação artística da cidade começou a projetar-se em 1937, quando Cássio M'boy, santeiro de Embu, ganhou o Primeiro Grande Prêmio na Exposição Internacional de Artes Técnicas em Paris. Cássio foi professor de vários artistas como: Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Alfredo Volpi, Oswald de andrade, Menotti Del Picchia e Yoshiya Takaoka.






A tradição artística da cidade institucionaliza-se e ganha projeção dentro e fora do Brasil em 1964, com o Primeiro Salão de Artes.






Paralelamente, a partir dos finais dos anos de 1960, a cidade passou a ser polo de atração para hippies, que expunham os seus trabalhos de artesanato nos finais de semana, dando origem à Feira de Artes e Artesanato, que se realiza todos os fins de semana desde 1969 e que é um dos principais motores da projeção turística da cidade.

wikipedia.org Embu das Artes

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Embu das Artes SP. Parte I.

Fundada pelos jesuítas provavelmente em 18 de julho de 1554, aldeia de Bohi, hoje Estância Turística de Embu das Artes, só começou a ser uma cidade independente a partir de 18 de fevereiro de 1959, data em que foi criado o município de Embu, desmembrado de Itapecerica da Serra e Cotia.






Até o século XVI, a região era habitada pelos índios tupiniquins. Como todas as missões jesuíticas no interior do Brasil de então, esta tinha objetivos missionários.






Os jesuítas pretendiam catequizar os índios locais, aproveitando-os como força de trabalho para as fazendas que foram criadas na região.






Em 1607, as terras da aldeia passaram para as mãos de Fernão Dias (tio do bandeirante Fernão Dias, o Caçador de Esmeraldas), mas, poucos anos mais tarde, em 1624, foram doadas à Companhia de Jesus.






Em 1690, o Padre Belchior de Pontes iniciou a construção da Igreja do Rosário, transferido, ao mesmo tempo, o núcleo da aldeia original.

wikipedia.org Embu das Artes

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Cachoeiras de Pirenópolis GO.

Cercada de morros e de privilegiada localização geográfica, estando aos pés da Serra dos Pireneus, Pirenópolis se destaca por manter uma natureza preservada.

Cachoeira da Meia Lua.


Cachoeira do Lázaro.


Cachoeira do Lobo.


Cachoeira da Garganta.


Cachoeira da Pedreira.


Cachoeira da Usina Velha.


Cachoeira da Vargem Grande.


Cachoeira das Araras.


Cachoeira do Abade.


Cachoeira do Bonsucesso.


Cachoeira do Cânion.


Cachoeira do Coqueiro.


Cachoeira do Dragão Voador.


Cachoeira do Landi.


Pirenópolis é o município goiano  que mais Unidades de Conservação possui, são ao todo 8 UCs, Parque Estadual da Serra dos Pireneus, Monumento Natural Cidade da Pedra, Área de Preservação Ambiental dos Pireneus, cinco Reservas Particular de Patrimônio Natural (RPPN) Fazenda Arruda, Reserva Biológica Vargem Grande, Fazenda Vagafog, Santuário Flor das Águas e Santuário Gabriel.

Cachoeira do Palmito.


Cachoeira do Paraíso.


Cachoeira do Rio das Almas.


Cachoeira do Rosário.


Cachoeira dos Dragões.


Cachoeira Encantada.


Cachoeira da Lagoa Azul.


Cachoeira Renascer.


Cachoeira Santa Maria.


Cachoeira Santana.


Cachoeira Sonrisal.


Cachoeira Vagafogo.


Cachoeira Veredas.


O Cerrado é a vegetação predominante. Por possuir, em seu território diversas altitudes, como o Pico dos Pireneus que se encontra a 1385 metros, é possível observar todas as diversas fito-fisionomias (formações vegetais) do Cerrado.

wikipedia.org Pirenópolis