Arquivo do blog

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Ilha de Paquetá Parte IV. Rio de Janeiro RJ.

Em Paquetá encontramos ruas limpas, gente simpática, praias de águas calmas, lindas construções e muitas particularidades. É o lugar dos sonhos para quem quer se isolar do mundo, mas com a opção de voltar rápido se for necessário.

Igreja de Bom Jesus.






É a Igreja Matriz da paróquia de Paquetá. A construção original data de 1763, sendo a última grande reforma por volta de 1900, que preservou seu interior neo-gótico.






A Igreja de Bom Jesus, chama  a atenção do teto em madeira, pintada de azul celeste, seu acesso é fácil e fica em frente à estação das barcas.

Casa de José Bonifácio.






José Bonifácio de Andrade e Silva (1763-1838) foi um naturalista, estadista e poeta brasileiro. Conhecido pelo epíteto de Patriarca da Independência por seu papel na Independência do Brasil. Em 11 de janeiro de 2018 foi declarado oficialmente Patrono da Independência do Brasil.

Praia de José Bonifácio.






Além de sua atuação política, teve uma destacada carreira como naturalista, notadamente no campo da mineralogia, tendo recebido internacional ainda em vida. descobriu quatro minerais, incluindo a petalita, que mais tarde permitiria a descoberta do elemento do lítio, e a andradita, batizada em sua homenagem.

Fontes: wikipedia.org Igreja de Bom Jesus

wikipedia.org José Bonifácio

www.tripadvisor.com.br Igreja de Bom Jesus

segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

Ilha de Paquetá Parte III. Rio de Janeiro RJ.

Atualmente na Ilha de Paquetá, os vistantes contam, além das praias e pedras, com passeios de charrete,  de bicicletas e com as visitas aos solar que hospedou Dom João VI, à casa de José Bonifácio de Andrada e Silva, à casa do pintor Pedro Bruno, à casa de Cultura, instalada em um prédio de estilo eclético, recém-reformado e o Parque Darke Mattos.

Praia da Moreninha.






Culturalmente a Praia da Moreninha, é a mais importante praia da Ilha, com diversos segmentos de areia e matações (incluindo a Pedra da Moreninha) e a maior faixa de areia da Ilha.






A extensão atual da praia é artificial, fruto de aterro realizado na década de 70, mais vale a pena uma visita e apreciar sua beleza.






Em frente, apresentam-se a Ilha de Brocoió, do Governador, e boa parte da Baía de Guanabara, acompanhada pela mata virgem do Morro de São Roque.

Casa de Pedro Bruno.






Pedro Paulo Bruno foi um pintor, cantor, poeta e paisagista brasileiro, nascido na Ilha de Paquetá (1888-1949). Sua obra mais conhecida é o quadro Pátria, de 1918, que retrata a bandeira do Brasil sendo bordada no seio de uma família.






Pedro Bruno era dotado. Possuía admirável voz de barítono. Em 1905, aos quatorze anos, embarcou para a Itália com o objetivo de estudar nos Conservatórios de Nápoles e Roma. de onde retornou diplomado em canto lírico, trabalhou no Conservatório de Música do Rio de Janeiro.

Fontes: wikipedia.org Ilha de Paquetá

ilhadepaqueta.com.br

wikipedia.org Pedro Bruno

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Ilha de Paquetá Parte II. Rio de Janeiro RJ.

O cenário de Paquetá é diferente, parece até locação de novela de época. As ruas são de saibro, não há prédios e nem carros, o meio de transporte mais comum é bicicleta, embora haja também carrinhos, que não poluem e não fazem barulho. São 1,2 quilômetros quadrados de perímetro de puro deleite.






Foi nas terras de São Roque que se ergueu, em 1697, a primeira capela da ilha, a Capela de São Roque, padroeiro de Paquetá. Posteriormente, em 1763, foi iniciada a primitiva Capela do Senhor Bom Jesus do Monte da Ilha de Paquetá com a condição de que se constituísse em paróquia local.






No contexto da presença da Família Real Portuguesa no Brasil, um alvará especial do príncipe-regente Dom João criou a Freguesia do Senhor de Bom Jesus do Monte. No Período Regencial, em 1833, por decreto regencial, a Ilha de Paquetá, passou a pertencer ao Município da Corte, Rio de janeiro.






Estátua de São Pedro. 


Em 1903, os distritos da Ilha de Paquetá e da Ilha do governador forma unidos no distrito das Ilhas, incorporando as ilhas e ilhotas ao redor de ambas.



Artesanato de Paquetá. 




A ocupação da ilha adensou-se a partir das frequentes visitas de Dom João VI, do estabelecimento de uma linhas regular de barcas, a partir de 1838, e, principalmente, através da divulgação obtida através do romance A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo, publicado em 1844, que se tornou um best-seller na corte, à época.







Isso permitiu o aumento de visitantes, atraídos ainda pela devoção a São Roque, assumindo a ilha a feição de polo turístico que, gradualmente, se impôs, passando a ser a principal atividade da ilha, função que conserva até os nossos dias.

Fonte: wikipedia.org Ilha de Paquetá.