Arquivo do blog

segunda-feira, 8 de agosto de 2022

Fortaleza de Santa Cruz da Barra Parte IV Final. Niterói RJ.

Com a transferência da Capital, do Salvador para o Rio de Janeiro (1763), uma de suas reformas mais importantes ocorreu no governo do vice-rei, D. Antônio Álvares da Cunha (1763-1767), que determinou a ampliação do seu poder de fogo, visando proteger o embarque do ouro e diamantes das Minas Gerais, então efetuado no porto do Rio de Janeiro para Lisboa.










É desta fase o Plano da Fortaleza de Santa Cruz, novamente reedificada, pelo Conde da Cunha, em o ano de 1765 (AHU, Lisboa). Segundo LAYTANO (1959), ao tempo do Vice-rei D. José Luís de Castro (1790-1801), este fez instalar vinte e nove peças de artilharia em uma nova bateria baixa (à flor d'água), no mesmo nível de uma outra, que existira anteriormente. De acordo com a planta no Arquivo Histórico do Exército (AHEx, Rio de Janeiro), esse e outros pequenos acréscimos foram introduzidos em 1793.










Á época do Império, durante o Período regencial, o Decreto de 24 de dezembro de 1831, determinou a redução do seu armamento à metade, ficando apenas uma peça de artilharia em bateria e outra sob abóbada ou rancho de palha. Em 1838 encontrava-se artilhada com 112 peças, e guarnecida por 1.568 homens, sob o comando do coronel João Eduardo Pereira Colaço Amado. 









No contexto da Questão Christie (1862-1865), as suas defesas forma reforçadas com a construção de casamatas à Haxo sobre a antiga bateria ao nível do mar, em três pavimentos: 20 casamatas no inferior, 21 no intermediário, e uma bateria à barbeta no superior no superior, erguidas entre 1863 e 1870, ano em que se construíram os dois pontilhões que ligam a antiga "Bateria 25 de março" ao segundo pavimento das novas casamatas.










Recebeu moderno armamento esfriado nas casamatas (1871), mantendo-se as peças antigas de alma lisa, nas baterias descobertas. Iniciaram-se obras no Quartel da Tropa (1872), o paiol de pólvora, destruído por uma faísca elétrica, foi reconstruído (1875), concluindo-se a modernização da praça em 1877 Posteriormente foram estaladas Enfermaria, Farmácia e iluminação a gás carbônico (carbólico 1882). Encontrava-se artilhada, em 1885, por cento e quarenta e cinco peças de grosso calibre, guarnecida pelo 1 º Batalhão de Artilharia a Pé, servindo ainda de Registro para os navios à entrada da Baía de Guanabara.

Fonte: www.wikipedia.org Fortaleza de Santa Cruz da Barra

24 comentários:

  1. Un interior muy bonito y bien conservado.

    Un abrazo, y feliz semana

    ResponderExcluir
  2. Fabulous post Luiz. I am learning so much history. The photos are wonderful and the videos are beyond wonderful. Have a great day.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Luiz,
    Gostei de conhecer essa Fortaleza e a História que a envolve. Está muito bem conservada.
    Beijinhos e uma boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  4. Impresionate todo lo que he visto.Saludos

    ResponderExcluir
  5. Aula de história muito importante. Deixo o meu aplauso, gosto e elogio. Belas fotos
    .
    Abraço
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  6. Luiz my good friend from Brazil I you please tell other people about this news: The Russians are ready to blow up the nuclear power plant in Zaporizhia!!!!!!
    „The portal Ukrayinska Pravda, citing information from the Ukrainian nuclear corporation Energoatom notified that the Russians are ready to blow up the mined Zaporizhia nuclear power plant.”
    I wrote about it on my blog now!

    ResponderExcluir
  7. Está hecha para enfrentar al tiempo... Mira nada más la fortaleza de la construcción...

    Abrazo até lá, amigo Luiz.

    ResponderExcluir
  8. Love all these lines intersecting one another. Gate photo in this series stands out the most for me.

    ResponderExcluir
  9. Imagens extraordinárias Luiz,
    tenho lido que os portugueses construíram mais de 300 fortalezas ao longo das fronteiras enormes do Brasil ..

    ResponderExcluir
  10. Interessante a arquitetura desta fortaleza

    ResponderExcluir
  11. É bom conhecer o Brasil através do teu blogue. Agora a faceta histórica também muito bem apresentada. Beijo Fraterno

    ResponderExcluir
  12. Interessante, é sempre bom saber mais sobre as construções brasileiras, especialmente as associadas com a proteção e defesa de bens.

    Abraço

    ResponderExcluir
  13. To protect shipments of diamonds and gold! No wonder the architecture was so amazing.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. defensive walls were fortifications used to protect the city of Rio de Janeiro and its communities, as well as their buildings churches, houses, convents, from attacks of potential aggressors

      Excluir
  14. Quando visito este locais os calabouços deixam-me claustrofóbico.

    ResponderExcluir
  15. Às vezes penso que disciplina de história é ensinada no brasil antes de 1822. A história de portugal? Curioso

    ResponderExcluir
  16. Ciao Luiz, grazie per questo interessantissimo post

    ResponderExcluir
  17. Wspaniała jest ta twierdza.
    dziękuj za kolejne informacje i fotografie. Udanego dnia:)

    ResponderExcluir
  18. Se ve muy bien conservado esta antigua fortaleza que como nos has dicho sigue teniendo parte de ella uso militar.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  19. Considero a visita a Fortaleza de Santa Cruz da Barra uma verdadeira aula de história. Obrigado pela visita.

    ResponderExcluir

Oi obrigado pelas suas mensagens. Seja bem-vindo. Sou grato a todos que deixaram seus comentários e mensagens. Novos amigos são bem vindos. Não existe distância para amigos de verdade. Desejo a todos, muita saúde nesse tempo difícil e complicado. Tudo isso terminará um dia.